segunda-feira, 27 de julho de 2009

O RAIO DO MEDO !

Que pena é, que é triste, como castrarmos fortes emoções que sentimos ao ouvir uma boa música, por exemplo, ao olharmos para uma criança que sorri para nós abertamente.

Que pena é ocultarmos aquele aperto no peito que sentimos quando acordamos ao lado da pessoa que amamos, que admiramos ... Mas uma pessoa acorda e nós não dizemos nada ... O medo diz-nos "sabes lá o que ele / a vai pensar!"


Mas o que importa isso?!? Não será o que nós pensamos que vale?
Vivemos miseravelmente presos aos bloqueios, aos traumas ... São eles que comandam a nossa vida, se é que podemos chamar isto de vida. A maioria de nós subsiste, vagueia, flutua sem norte, sem objetivos. "Vai andando", ouvimos nós dizer quando perguntamos, "como vai a vida?".

Será que é isto que nos é proposto lá em cima, antes de descermos de novo à manifestação? Será que é isto que trazemos para fazer? É esta a nossa missão? Subsistir?

É verdade que estamos e que somos envolvidos neste emaranhado sem fim de ilusões, de alucinações, de filmes que são criados aqui na 3 ª dimensão e na nossa mente. A rede está bem montada, é verdade, mas se alguns conseguem fura-la, porque é que os outros não conseguem?
Porque não acreditam não Amor. Porque os seus corações não estão puros, porque como inseguranças e o raio dos medos os contínuos.

Temos medo de tudo. Temos medo de nós, por isso, atacamos os outros. Temos medo da vida, por isso, não aceitamos desafios. Temos medo da felicidade, por isso, viramos uma costas às oportunidades com frases do gênero: "isto não vai dar certo." Temos medo das vitórias, por isso, aceitamos aquele trabalhinho medíocre porque ali não há como falhar.

Há muito que deixámos de acreditar que podemos ser felizes ... que podemos ser seres completos; bons profissionais, bons amantes, bons pais, bons políticos, bons professores, bons seres humanos. Escolhemos apenas uma delas e é quando é!
Deixamos de sonhar e de acreditar no nosso poder pessoal. Esquecemo-nos que podemos conquistar tudo! Podemos ser tudo! Podemos atingir estágios que nem imaginamos, e porquê? Porque não tentamos.

Porque renegamos a nossa Centelha Divina? Fomos feitos à imagem e semelhança de Deus, dizem, mas onde é que o sentimos? Onde é que nos pomos à prova? Quando é que acreditamos que somos deuses? Se somos filhos de Deus, então, somos também, deuses ou pelo menos semideuses.

Temos, todos os dias, uma oportunidade de nos superarmos, de sair da "normalidade", de criarmos, de sermos maiores e melhores, mas fechamo-nos na nossa torre. E a cada dia, a nossa essência, a nossa estrela vai perdendo o brilho, vai escurecendo e ao invés de transformarmos o chumbo em ouros, fazemos o processo inverso, transformamos o ouro em chumbo ... ao invés de evoluirmos, involuimos (estacionamos) ...

Do Esfera Feminina.


2 comentários:

Postar um comentário

Nós sempre precisamos de amigos.
Gente que seja capaz de nos indicar direções, despertar o que temos de melhor e ajudar a retirar os excessos que nos tornam pesados.
É bom ter amigos.
Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos.

Seja sempre bem vindo, amigo(a).