terça-feira, 25 de agosto de 2009

QUANDO NOS FALTAM AS PALAVRAS

Não raras vezes, ao achegar-nos a Deus, não sabemos o que Lhe dizer. Tudo o que havíamos planejando falar torna-se sem sentido por não expressar exatamente o que gostaríamos de dizer.

Outras vezes, começamos a falar, mas percebemos que nossa palavras são vazias e desistimos de orar. Eis aí nosso erro.

Orar não é exercício de oratória ou mesmo de palavras coerentes; orar é derramar o coração diante de Deus. Muitas vezes realmente não sabemos o que falar nem há o que falar, mas isso não significa que não haja o que orar.

John Bunyan, autor de O Peregrino, disse que “as melhores orações contêm, freqüentemente, mais gemidos que palavras”.

E essa pode ser a mais profunda experiência de oração: estar na presença de Deus, mesmo que nada tenhamos a dizer, simplesmente abrindo nosso coração a Ele, permitindo que Ele mesmo ouça em nós o que não sabemos expressar com palavras.

Fonte: Jornal Árvore da Vida.

2 comentários:

Postar um comentário

Nós sempre precisamos de amigos.
Gente que seja capaz de nos indicar direções, despertar o que temos de melhor e ajudar a retirar os excessos que nos tornam pesados.
É bom ter amigos.
Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos.

Seja sempre bem vindo, amigo(a).