sábado, 6 de fevereiro de 2010

PENSAMENTO AUTOMÁTICO X INFLUÊNCIA ESPIRITUAL


Nossas emoções não costumam perguntar "é certo sentir isso agora?" antes de ser sentida.

Da mesma forma nossos pensamentos espontâneos, por vezes, deixa-nos perguntando "de onde veio isso?" logo depois.
Não é possível processar todos os pensamentos, fazê-los dar uma educada batida em nossas portas mentais antes de dançarem em nossas mentes.

Em um nível cognitivo um pensamento que subverte a mente consciente é às vezes chamado de "pensamento automático". Esse diálogo pode ser interno, uma imagem mental, ou mesmo uma conclusão que fazemos sobre uma pessoa ou uma idéia.

Estes pensamentos duram apenas uma fração de segundo. Momentos depois, temos a tendência de usar a nossa mente consciente para julgar e avaliar essa impressão automática e concluir se vamos aceitar ou rejeitar.

Alguém que abre este blog pela primeira vez pode ter um pensamento automático, que dura uma fração de segundo com base no design da página e uma ou duas palavras no título do artigo. O pensamento automático que é bastante atraente pode influenciar o comportamento. O velho ditado "não julgue um livro baseado na sua capa" é outro exemplo.

O perigo de não reconhecer o pensamento automático
O grande problema com os pensamentos automáticos é que não temos tempo para processá-los como sendo verdadeiro ou não. Na maioria das vezes não estamos mesmo cientes de que temos pensamentos automáticos, porque não podemos antecipá-los.

As emoções tendem a seguir os pensamentos automáticos, mesmo sem a permissão de nossa mente consciente. Um carro que ultrapasse na frente de outro numa estrada pode agitar toda uma série de pensamentos automáticos, mas o interessante é que a resposta emocional que temos, ao pensar automático, é diferente para todos nós.
Os pensamentos que surgem são reflexos imediatos de que o subconsciente usa para nos proteger e para validar as nossas crenças sobre o mundo.

Alguém que tem a opinião de que quem ultrapassar outros carros na estrada é 'idiota' vai experimentar pensamentos automáticos que refletem esta crença. Seu pensamento automático cada vez que alguém passar na frente de seu carro pode ser "o condutor é um idiota" e isso poderia provocar uma "resposta adequada" emocionalmente falando. Isso tudo acontece dentro da mente antes de um comportamento externo aconteça.

Crenças e pensamentos automáticos
Nossas crenças centrais são idéias que temos de mais verdadeiro e certo sobre o mundo. São conceitos a respeito de si e dos outros, geralmente bastante fixa e pouco flexível. Tem a ver com esquemas (que são formas de ver o mundo pradronizadas por nós mesmo ainda na infância).

Na verdade, levamos nossa vida de acordo com nossas crenças, e são elas que estarão por trás de nossas vitórias e problemas.
Por exemplo, alguém que não sabe nadar bem vai ter uma opinião diferente sobre algo tão simples como ir à praia, em comparação com uma pessoa que é um excelente nadador.
Mantendo a crença de não ser capaz de nadar bem pode resultar em todos os tipos de pensamentos automáticos que são acionados quando a água ou natação é mencionada em conversas.

Nossa mente automática é muito boa em defender as crenças fundamentais que temos de mais verdadeiro sobre o mundo e filtrando um monte de" negativas " experiências sem que tenhamos de pensar e avaliar cada uma. Portanto, conhece-las é uma parte indispensável no processo de capacitação emocional e auto-conhecimento:

- Crenças sobre si mesmo: "Eu sou burro" ou "Eu sou fraco" ou "Eu sou feio" ou "Eu sou maluco", etc.
- Crenças sobre os outros: "As pessoas não são confiáveis" ou "As pessoas só se importam consigo mesmas" ou "As pessoas me ferirão", etc.
- Crenças sobre a qualidade de vida: "A vida é sofrimento" ou "A vida é dura" ou "Para que afinal", etc.

A finalidade das crenças é não sentir o desconforto da necessidade não satisfeita. Funcionam como um suporte para o indivíduo num ambiente desconfortável. No entanto, as crenças fundamentais e os pensamentos automáticos, nunca são uma representação total da verdade. Uma pergunta que pode trazer a consciência para o pensamento é automático: "o que faço para manter a crença que me leva a pensar assim?"

Todos nós temos problemas, questões que nos dificultam ou impedem o avanço em determinadas tarefas e objetivos. Será que sabemos lidar bem com nossos problemas? A primeira coisa a se questionar é se sabemos identificar o problema.
As emoções intensas que são acionadas como um resultado automático de pensar, muitas vezes ignoram os seguintes princípios:

1-A situação parece que ameaça o que você acredita, mas na realidade não o é.
2-Princípios e opiniões com a mudança de contexto.
3-As pessoas cometem erros às vezes.
4-Pode não ser uma necessidade defender a sua crença central.
5-Outros se comportam com base em suas crenças fundamentais e pensamentos automáticos.

Considere estes 5 fatores quando perceber um pensamento automático. Tornar-se ciente de onde vêm os pensamentos automáticos ajuda a dar sentido às emoções inexplicáveis e pensamentos inesperados que experimentamos, que são como um vício que não se percebe e que causam tantas tensões desnecessárias.Policiar a si próprio e identificar tais pensamentos negativos é o primeiro passo para evitar que sejam "automáticos". Afinal, não é qualquer um que irá dizer a você o quanto está sendo "chato" ao ser tão negativo.

Texto coletado de periódicos de Psiquiatria e Psicologia e da page Condonare.


Essa é uma abordagem psicológica dos pensamentos automáticos.
Em Espiritismo aprende-se que a influência que os espíritos exercem em nossas vidas é tal, que frequentemente são eles quem nos dirigem.(Pergunta 459 do Livro dos Espíritos).
Daí, nossos pensamentos não serem tão somente nossos.
Nos próximos posts procurarei trazer um pouco desse assunto e as conseqüencias práticas na nossa vida, buscando na Codificação Espírita algumas explicações prás dúvidas mais comuns.

Fiquem com Deus.

6 comentários:

Postar um comentário

Nós sempre precisamos de amigos.
Gente que seja capaz de nos indicar direções, despertar o que temos de melhor e ajudar a retirar os excessos que nos tornam pesados.
É bom ter amigos.
Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos.

Seja sempre bem vindo, amigo(a).