sexta-feira, 9 de abril de 2010

TRAIÇÃO: COMO TORNAR POSSÍVEL O PERDÃO?

Num post anterior, eu tinha feito a proposta de diálogo fraterno, a partir  de dúvidas colocadas por leitores do Celeiro, seja através posts anteriores, pelo e-mail, minhas próprias ou que li em algum lugar e me chamaram a atenção. 
Não tenho a pretensão de  satisfazer todas as questões através de um tratado psicológico ou teológico. Mas óticas diferentes, jogam luz e favorecem em muito, a amplitude e a melhora da compreensão dos problemas.
Desejo, de coração, que esse projeto seja algo útil, promovendo reflexões que se aproveitem das idéias colocadas por quem puder contribuir com seu ponto de vista pessoal e tenho certeza, sempre fraternal.  

Aproveito para lembrar o serviço de atendimento fraterno via e-mail ou on-line prestado pela equipe do portal Espiritismo.net. Caso deseje uma resposta elaborada especialmente para você, fundamentada nos ensinos da Doutrina Espírita e respeitando totalmente a confidencialidade, acesse o portal e preencha o formulário de contato, para atendimento off-line. O atendimento on-line é feito via Paltalk. 


Precisando de uma palavra amiga? Atendimento Fraterno
Atendimento Fraterno
Converse com nossa equipe, acessando o formulário de contato





Anônimo escreveu:





Eu pergunto a quem possa me responder,sobre as pessoas que sofreram uma traição( adultério),como é que fica a cabeça dessa pessoa que ama seu conjugue, sentimento de derrota,os sonhos de amor são perdidos e até a vontade de viver as vezes podem acabar,podem esse ato virar ódio. 
Então qual é a solução? dar a outra face para ser esbofeteada,sendo que nesse momento a fase animal tende á aparecer, e isto é comum em todos os seres humanos, ai alguem diz, é melhor dar um tempo pra poeira abaixar,mas quando a poeira abaixar, lá estara o fantasma do problema, pairando sobre sobre as cabeças de ambos.
Qual é a solução?


***********************************

69 comentários:

Postar um comentário

Nós sempre precisamos de amigos.
Gente que seja capaz de nos indicar direções, despertar o que temos de melhor e ajudar a retirar os excessos que nos tornam pesados.
É bom ter amigos.
Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos.

Seja sempre bem vindo, amigo(a).