terça-feira, 29 de junho de 2010

AMOR SEM ADEUS

Para aqueles que verdadeiramente amam, não existe adeus, mas até logo. Quando o amor está presente não há partida sem reencontro. A separação de qualquer natureza é vista por aquele que ama como uma breve pausa.

A morte, aparente ceifadora de vidas, não consegue separar aqueles que amam. O amor transcende a está gravada no corpo, mas na alma.
Quando nos separamos daqueles a quem amamos, pela sua desencarnação, devemos continuar amando-os a fim de alimentá-los, à distância, com o sentimento que verdadeiramente nutre para a vida.

Se você tem um parente ou amigo do outro lado da vida e não consegue esquecê-lo, experimente o verdadeiro amor que se vitaliza pela vibração que emite ao outro e pela certeza de sua existência na espiritualidade.
A saudade do ente querido que desencarnou deve ser permeada pelo amor a fim de que não se torne vazia. O amor nos dá a certeza da imortalidade da alma e nos aproxima dos que nos antecederam na jornada espiritual.

Não há adeus nem perda para o amor. Só se perde o que não se possui. Os valores sobre os quais nos ancoramos são aqueles inalienáveis, que nem as traças corroem nem os ladrões roubam. Ninguém perde o amor, pois ele não é destruído com a morte do corpo nem com a distância, as barreiras do espaço e do tempo não conseguem separar aqueles que se amam.

Não chore desesperado pelo amor “perdido”. Observe a generosidade da vida ao libertar aquele que
cumpriu o tempo necessário com você e ao crescimento que foi proporcionado na convivência a seu lado.
A viagem de alguém é pausa para o crescimento dos que se separaram. Considere que todo afastamento é
possibilidade de percepção do outro e de si mesmo. Um belo quadro, como qualquer obra de arte, só pode ser admirado se dele nos afastarmos.

Não se lamente pela separação daquele a quem você verdadeiramente ama. Quem ama liberta e deseja o bem para o outro.
A ansiedade do reencontro pode nos fazer perder a chance de perceber as mudanças ocorridas no outro durante o período de afastamento. O amor espera e confia, permitindo-se mudar a cada dia na direção do Bem.

Considere que aqueles que você ama se comunicam com você pelas sutis conexões do amor. Os entes
queridos, à distância ou desencarnados, nunca deixam de se comunicar. A mediunidade natural nos permite estar sempre em contato com aqueles a quem amamos.
Converse com seus amores que se foram para outra jornada. Fale-lhes de sua saudade, mas não se desespere.

Quem ama continua recebendo as vibrações dos corações que deixou na Terra. Confie no amor que os unirá de novo na Vida Maior.
Quando a pessoa amada está distante e desejamos sua felicidade, contentemo-nos com a certeza dele estar
vibrando com o pensamento divino em favor do nosso crescimento.

A vida expressa sempre o amor de Deus. Nele nos nutrimos e nos entregamos na expectativa de alcançarmos a felicidade. Nunca haverá separação entre nós e Deus, tanto quanto entre os que se amam.
O amor é uma fonte exuberante de vitalidade. Quem verdadeiramente ama revigora suas energias e, se o faz aos outros, alimenta-os com a vitalidade oriunda da natureza.
Se seu amado se foi, guarda no coração a certeza de que o grande bem que alguém pode nos dar é a felicidade de poder estar construindo adiante, para si e em favor da Vida.
Nada, a não ser o progresso, é determinado. Tudo está interligado pelos fios invisíveis do amor. Ninguém pode se dizer isolado no mundo. O nascer nos coloca na vida de forma a não podermos dela nos ausentar. Os corações que abrigamos em nós mesmos jamais estarão distantes.

Jesus nos mostrou que seu amor não teria adeus quando nos afirmou sua presença até o findar dos séculos, prometendo o Consolador para estar sempre conosco.

Livro: Amor Sempre
Autro: Adenauer Novaes

8 comentários:

Postar um comentário

Nós sempre precisamos de amigos.
Gente que seja capaz de nos indicar direções, despertar o que temos de melhor e ajudar a retirar os excessos que nos tornam pesados.
É bom ter amigos.
Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos.

Seja sempre bem vindo, amigo(a).