quarta-feira, 13 de outubro de 2010

JOGO DO COPO - VALE A PENA ARRISCAR?

Um dos argumentos que algumas pessoas apresentam para fazer a brincadeira do copo é o de que uma vez jogaram e nada de mal aconteceu. Este é o argumento clássico de quem analisa as coisas apenas pela sua experiência pessoal. O fato de não ter corrido mal uma vez, não significa que não seja perigoso.


Outro argumento é o de que é "apenas" o subconsciente" dos participantes que move o copo. É uma opinião e é respeitável. Muitos anos de estudo de filosofia espírita e de fenomenologia medianímica diz-nos que não é assim. Contudo, mesmo para os que acham que é "apenas" o subconsciente, desaconselhamos na mesma esta brincadeira, porque os resultados podem ser desagradáveis.

Seja qual for a causa, há pessoas que ficam psicologicamente transtornadas, e há fenómenos que dificilmente se explicam pelas teorias do "subconsciente" ou das "leis da Física". Há casos em que o copo estala sem contato, por exemplo, o que parece desmentir as teorias precedentes.

Valerá a pena as pessoas arriscarem-se por um terreno que desconhecem, sujeitando-se a consequências imprevisíveis? Achamos que não.

              Portal G1 - Jornal Hoje - "Brincadeira do compasso vira mania nos intervalos das              
             escolas".

7 comentários:

Postar um comentário

Nós sempre precisamos de amigos.
Gente que seja capaz de nos indicar direções, despertar o que temos de melhor e ajudar a retirar os excessos que nos tornam pesados.
É bom ter amigos.
Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos.

Seja sempre bem vindo, amigo(a).