terça-feira, 23 de novembro de 2010

O DESAFIO DE RELACIONAR-SE

Nós não somos maus, inadequados ou incompetentes quando nossos relacionamentos falharam. Pode ser que tenhamos sido simplesmente muito confiantes, não nos preparando adequadamente para eles ou fantasiando as suas perspectivas. 



Nem todos os relacionamentos dão certo. Enquanto valores mudarem, critérios se expandirem, fachadas humanas permanecerem impenetráveis e comportamentos humanos forem imprevisíveis, nós cometeremos erros.

Sabemos que um relacionamentos é bom quando ele encoraja o crescimento intelectual, emocional e espiritual. Se ele se torna destrutivo, coloca em risco nossa dignidade humana, impedindo o nosso crescimento pessoal e deixando-nos constantemente deprimidos e desmoralizados.

Nesses casos, precisamos saber sair dele, por mais doloroso que seja o seu fim. A partir de uma certa hora, amar se torna um exercício de masoquismo. Não somos para ninguém, ninguém é para nós. Se uma pessoa deixa de nos atrair, podemos ao menos não feri-la. Por que insistir em algo que só está fazendo mal?

Do livro "Amando Uns Aos Outros - O Desafio das Relações Humanas", de Leo Buscaglia.
Imagem: Corbis Images

8 comentários:

Postar um comentário

Nós sempre precisamos de amigos.
Gente que seja capaz de nos indicar direções, despertar o que temos de melhor e ajudar a retirar os excessos que nos tornam pesados.
É bom ter amigos.
Eles são pontes que nos fazem chegar aos lugares mais distantes de nós mesmos.

Seja sempre bem vindo, amigo(a).